quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Lembrança

Não quero dar desculpas para meu sumiço... Pode não parecer mais minhas atitudes estão mais racionais, não direi onde estou, muito menos quando volto. Esta tudo muito estranho, não consigo me entender e consequentemente você também não me entenderia. Minha visão esta cada vez mais embaçada, estou me transformando, não se assuste com essas mudanças, aos poucos eu estou me decompondo, estou em declínio, minha carne é franca, sinto minha pele rachar, já perdi o viço há muito tempo, minha respiração é parca estou me acabando aos poucos. O que resta de mim em você é uma vaga lembrança do que fui um dia, mas de tudo ficou um pouco. Talvez uma dia volte ou mande notícias, não sei, tudo é tão estranho.

4 comentários:

Kati Froes disse...

Não é fácil perder, nem seguir em frente ileso.

Mas como diz aquela frase:

"É preciso força pra sonhar e perceber, que a estranha vai além do que se vê" Los Hermanos..

bjus...

Mente Hiperativa disse...

Será um amor 'em estágio terminal'?

Sofrendo seus últimos dias numa cama de hospital, entubado na UTI?

Thiago Pinheiro Braga. disse...

Acho que é mais um ciclo se fechando e outro querendo aparecer. como uma lagarta que se percebe lagarta e depois se transforma em borboleta.

Silene Neves disse...

"... sinto minha pele rachar..."

Como quem já não cabe dentro de si mesmo! O declínio que leva a evolução...o ar que falta, o chão que se abre, o céu que é pouco, precisamos voar além de nós, nesse momento... em todos! Para sermos melhores! Na busca sem fim de quem realmente somos!

Beijo da Sil
Encantada com o vê aqui...