terça-feira, 28 de junho de 2011

Momento


‎"O amor que busco não esta no outro esta em mim", há dias que me vejo assolado por paixões sombrias, eu não sou pesado, eu não sou leve, sou o meio termo, oscilo entre intensidades que vão além do meu entendimento, não estou a disposições de querências e carências alheias, prefiro minha ostra, prefiro a busca do amor no pequeno gesto.

4 comentários:

Mente Hiperativa disse...

Ah, é tão bom ficar no interior da sua conchinha quentinha, confortável, sem barulho, sem ninguém reclamando ou te ligando 24hs... Eu gosto de ser ostra...

Vez por outra eu saio da concha e dou um rolé, depois volto pra o meu abrigo seguro.

Abraço

Bruniele Souza disse...

Nossa! adorei esse post, muito bom! Sua descrição é bastante genuína, as oscilações, a inconstância, a busca...Essa é a verdadeira marca do ser humano no mundo

Kati Froes disse...

Me identifico, gostei!
beijos..=)

فرح disse...

Você tem charme embutido nas palavras. Reflete a alma que tem, alma essa sem tamanho amigo.


Continue assim: imenso de generosidade.